O relatório da investigação da queda do helicóptero Robson 44 apontou que o piloto não estava habilitado, que não haviam condições meteorológicas para o voo, além de problemas em peças. A aeronave caiu em uma fazenda no dia 1º de abril de 2018 em Rosário, a 75 km da capital São Luís. Três médicos e um policial civil morreram.
O documento aponta que o piloto, o policial civil Alfredo Oliveira Barbosa Neto, estava com o Certificado Médico Aeronáutico vencido desde 19/01/2018. A habilitação do helicóptero também estava vencida desde junho de 2012.
As investigações também apontaram a existência de corrosão entre o núcleo e o revestimento de uma pá do rotor principal [a parte central entre as hélices, próximo do motor], o que teria causado um ‘descolamento’. Esse problema, segundo o documento, torna o voo impróprio e inseguro. O correto, segundo o relatório, seria a substituição das pás antes da decolagem. (Fonte: G1MA)