O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que um habeas corpus apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode ser julgado antes do recesso do Judiciário, que tem início em 20 de dezembro. De acordo com o magistrado, neste momento diversos órgãos estão sendo consultados.
Ao ser questionado por jornalistas sobre quando o pedido do petista deve ser levado para julgamento na Segunda Turma da Corte, Fachin disse que vai aguardar alguns prazos. “Eu vou aguardar o cumprimento dos prazos e a prestação das informações. Aí, se tudo isso for feito adequadamente, é possível”, afirmou.
No pedido, a defesa de Lula acusa o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, de agir parcialmente, e se mover por sentimentos pessoais para condenar o ex-presidente. Cabe ao presidente da Turma, Ricardo Lewandowski, decidir uma data para julgamento.
Moro aceitou o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro para ocupar o Ministério da Justiça. Para a defesa de Lula, essa decisão faz com que as decisões dele envolvendo Lula sejam legalmente suspeitas.