Entre as muitas ideias do economista Paulo Guedes para tornar a economia brasileira mais aberta e liberal está propor uma associação do maior banco brasileiro com o líder do setor bancário norte-americano.
O Banco do Brasil e o Bank of America poderiam se fundir ou fazer 1 acordo operacional para operarem juntos.
Guedes acredita que a fusão abriria a porta para o Bank of America atuar no Brasil e assim aumentar a competição no setor bancário, altamente concentrado. Ao mesmo tempo, o Banco do Brasil iria para os EUA e levaria seu expertise para lidar com o público latino.
O Brasil tem 1 problema crônico de falta de crédito. Guedes acredita que uma das razões principais seria o fato de os bancos públicos ficarem com uma imensa carteira e responsáveis por fornecer dinheiro mais barato para alguns setores da economia. Com a abertura do mercado e mais competição –como numa possível fusão do BB com o BofA– essa idiossincrasia do mercado bancário brasileiro começaria a ser matizada.
É claro que uma operação de fusão do BB com o BofA é muito complexa e incerta. Mas esse tipo de ideia indica como fervilham as propostas na equipe econômica de Bolsonaro.
Uma coisa é certa: o BB não vai passar incólume pelos 4 anos do governo de Jair Bolsonaro. O primeiro item a ser colocado à disposição da iniciativa privada deve ser a área de “asset management”.(Poder360)